08 a 19 de agosto de 2005

Mercosul - UE

a) Mercosul prepara nova oferta automotiva para UE

O Mercosul tenciona apresentar uma melhora na oferta do bloco para o setor automotivo, no âmbito das negociações com a União Européia. As montadoras de Brasil e Argentina já chegaram a um entendimento, o qual dependerá de aprovação dos governos nacionais.

Os Ministros do bloco do Cone Sul devem acenar com uma abertura mais ampla do setor, objetivando uma contrapartida da UE em agricultura. Os dois blocos se reunirão no dia 2 de setembro, em Bruxelas.

Além do setor automotivo, o Mercosul estuda melhorar as ofertas em serviços e investimento.

EUA - Brasil

a) EUA impõe sobretaxa ao suco de laranja brasileiro

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos aplicou tarifas antidumping de 24,62% a 60,29% sobre o suco de laranja exportado por grandes indústrias brasileiras.

Os Estados Unidos emitiram parecer preliminar acusando as indústrias da prática de dumping. O Departamento de Comércio americano acredita que uma decisão final seja tomada no início de janeiro de 2006. De qualquer forma, a sobretaxa já começou a ser aplicada.

Entrementes, Thomas Shannon foi nomeado o novo subsecretário de Estado dos EUA para o Hemisfério Ocidental (Américas). Trata-se do primeiro ocupante do cargo durante o governo Bush a conhecer o Brasil com profundidade.

Comércio Exterior

O Ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan anunciou, na segunda semana de agosto, a estimativa do superávit comercial de US$ 38 bilhões, com crescimento de 12,75% em relação ao ano passado. Este ânimo nas expectativas segue depois de grandes resultados obtidos no mês de julho e no começo de agosto. A primeira semana de agosto registrou superávit de US$ 904 milhões e a segunda semana registrou superávit de US$ 840 milhões. No ano, o superávit acumulado chega a US$ 26,422 bilhões.

Grande influenciador destes resultados nas primeiras semanas de agosto foram os produtos manufaturados, os quais registraram um crescimento de 22,8% sobre o mesmo período do ano passado. A previsão de investimentos estrangeiros diretos (IED) também obteve aumento nas projeções de analistas, chegando à US$ 15,45 bilhões. Outra previsão, elevada neste começo de agosto, foi a de exportações brasileiras de agronegócio, subindo para US$ 43 bilhões em 2005.

Porém é necessário também destacar algumas informações não tão otimistas. Por mais que tenha havido grandes resultados na Balança Comercial, o resultado geral das Transações Correntes no mês de julho não foi tão animador, por mais que tenha registrado os US$ 2,6 bilhões de superávit. O grande entrave fica por conta do resultado total do Balanço de Pagamentos, que obteve um déficit de US$ 5 bilhões no mês de julho.

A Câmara de Comércio Exterior realizou algumas alterações na segunda semana de agosto. Primeiramente, a Camex decidiu aumentar as tarifas de importações de calçados a fim de proteger a indústria nacional. A alíquota passa de 14% para 35%. Segundamente, reduziu os impostos para importação de produtos defensivos e adubos, com diferenciações em relação à produção regional ou não regional.

Outra discussão que houve na terceira semana de agosto foi a mudança da “MP do Bem”. O texto foi bastante alterado devido às negociações com o Ministério da Fazenda. As mudanças realizadas pelo relator Custódio Mattos (PSDB-MG) podem não ter a eficácia desejada, porém ainda há possibilidade de novas alterações para que o objetivo final, incentivo à investimentos, seja alcançado.
©2017 rbarbosaconsult.com.br – Todos os direitos reservados. Av. Brig Faria Lima, 2413 Sobreloja Conj. B - São Paulo - SP | Fone: (5511) 3039 6330